PRA VOCÊ...

Esta noite eu viajei pra dentro de mim e vi muito além da escuridão.

Encontrei uma série de sentimentos empoeirados, esquecidos, aniquilados , adormecidos.

Conversei horas a fio com minhas percepções, e descobri muito do que deveria ter sido em consequência do que eu vivi e senti..

Em meio à penumbra, revelaram-se estruturas por mim projetadas e construídas. Sentimentos formados, mas nunca aflorados.

Amores vividos, amores abortados, sentimentos enclausurados.

Dores e tristezas que eu me permiti.

Acariciei minhas ruínas e encontrei muito do que quero que venha.

No silêncio, descobri que os sentimentos dormem, não morrem.

Acompanham minha existência.

São a dúvida ferrenha do que poderia ter ou não virado um grito.

O passado ressurge do nada.

Procura revelar-se, mas rola como um gelo, de meu coração, de meus sentimentos. Desliza como neve que escorrega da montanha em avalanche.

Torna-se uma escuridão gelada, com avidez me anestesio, congelo o próprio coração.

Queria que o passado desaparecesse, que esse breu gelado de minha alma acabasse em uma explosão, sem deixar vestígios em minha mente.

E depois deste apocalipse, raios de sol perdidos refletissem meus cacos.

Para que assim eu pudesse começar a reconstrução de mim.

Quando estiver em cacos, meus estilhaçados transformam-se em experiências, hoje retratadas em um aborto.

Aborto de sentimentos, muito bem gravados dentro de mim.

E abortos sempre causam cicatrizes e dolorosos muito dolorosos traumas.

 

"Eu limpei minha vida, te tirei do meu corpo
Te tirei das entranhas
Fiz um tipo de aborto
E por fim nosso caso acabou
Está morto"

Ivan Lins e Vitor Martins
[ ver mensagens anteriores ]

O que é isto?