Virtual – Real

 

Foi assim que eles se conheceram.

Em uma salinha de bate papo,

Um nick que chama a tenção

Algumas frases de aproximação e

Logo nasceu um sentimento que só os internautas conhecem.

Durante muito tempo encontraram-se via net diariamente

Pareciam feitos um para o outro

Contaram seus mais íntimos segredos

Coisas que jamais ousaram falar para pessoas de seu convívio

Sentiam confiança e sinceridade um no outro

Com o passar do tempo o sentimento foi se solidificando

Surgia o desejo desenfreado de se verem

Fotos foram trocadas. Se viram

Gostar ou não do que viam já não tinha grande importância

Suas almas se completavam

A idéia de se encontrarem tomava conta dos dois

Mesmo com as noticias que liam de pessoas inescrupulosas

Que fazem uso da rede para tirar proveito dos mais ingênuos

Não diminuiu a vontade que tinham

De passar da fantasia para a realidade

O desejo os dominou

O rumo era inevitável

Olhos nos olhos

Corações disparados

Uma insegurança quase infantil

Sensações há muito esquecidas

Apenas uma certeza

Aquela era a primeira vez de duas pessoas

Que se conheciam muito bem

Sabiam perfeitamente o quanto se queriam

Arriscaram suas vidas conjugais e

Familiares num encontro

Ao leve toque de seu lábios

Derrubaram definitivamente seus medos.

Antes deste momento

Imaginaram milhões de frases

Respostas ensaiadas

Silêncio

Sem palavras

Ficaram ali se olhando

Não disfarçaram seus sentimentos

Não esconderam nada

O jogo estava começando

Uma cama

Um banheiro

Uma mesa

Um café a espera

E o amor infinitamente acumulado nos últimos meses

Agora não era mais um toque de lábios

Era um beijo intenso

Carregado de paixão

Um desejo desmedido

Suas mãos até então cheias de pudor

O buscaram direta e objetivamente

Queria sentir o tamanho do desejo dele

Seus dedos que em casa raramente buscaram

O desejo 

Agora pulsavam ávidas de paixão

Não havia mais um teclado, um monitor entre eles

Os momentos descritos por eles antes

Agora eram reais

Uma blusa que foi abandonada em cima do sofá

Uma mão que fez a vezes do soutien

A cabeça dela pendida para trás

Expunha ainda mais os seios

A ansiedade inexplicavelmente fechou as casas dos botões

De suas roupas, que logo eram apenas um embolado

De tecido no chão

Os dedos dela fazem um desenho aleatório no peito dele

Os pelos dele lhe dão um prazer que sua língua desconhecia

O perfume masculino, que ela apenas conhecia pelo nome

Agora tomava conta de seu olfato

E a excitava ainda mais

Os dedos dele hábeis deixaram sua calcinha fazendo companhia

A roupa embolada

E sabiam exatamente onde buscar o prazer

Penetraram com facilidade em suas carnes molhadas e quentes

E quase a levaram a loucura

Tremula e nervosa a mão dela procurou-o

Precisava senti-lo

Grosso, forte, pulsante, vivo...

Ela implora para que ele a possua imediatamente

Jamais se sentiu assim

Tão exposta e a desejar tanto

Há muito tempo não se sentia tão fêmea

Queria ser invadida, possuída

Em seu corpo ardia um fogo irracional

De se sentir mulher por inteiro

Com as pernas ela o puxa para si

Um movimento e ele estava dentro dela

Um delírio para ambos

Querem-se muito

Dentro deles o desejo irracional

E por ele são dominados

São movimentos descompassados no início

Mas logo se ajustam se coordenam

E o encaixe é perfeito, como se fossem um corpo apenas

Amor e sexo

Côncavo e convexo

Desejo e paixão

Há uma eternidade se conheciam, de outras vidas já se conheciam

Não importava como, onde, quando

Os dois sabiam o que queriam

Movimentos acelerados

Contrações musculares

Sensações inimagináveis

Perda de percepção

A espera se desfez em êxtase

As pernas dela o apertaram um pouco mais

E suas unhas deixaram uma marca em suas costa

A mistura de dor e amor

Dá muito mais prazer ao orgasmo

Encaixados tentaram prolongar ao máximo

Aquele momento

Para logo em seguida recomeçarem

Tudo outra vez

Já não existe mais o virtual

Agora é real

Até quando ...??

Só o tempo dirá.

 

 

 

 

 

 

 

 

[ ver mensagens anteriores ]

O que é isto?